IMPRENSA

Decifrar Intenções: o coração da Inteligência Artificial | IMAGENS DE MARCA

Segundo as estimativas da Gartner, cerca de 60% das interações com o serviço ao cliente que precisavam de um ser humano em 2014, prevê-se que sejam reduzidas para 33% até 2017. Para se chegar a esse número – dar boas experiências aos clientes e tornar o esforço humano mais eficiente – os sistemas precisam entender o que os utilizadores estão a tentar fazer. Tal significa entender a intenção do cliente. Decifrar intenções é o coração da inteligência artificial.

Por exemplo, na área do serviço ao cliente (pré e pós-venda), os chatbots têm tido um papel relevante. Por defeito, um chatbot não precisa ser inteligente mas sim útil.

Um chatbot cuja tarefa é ajudar alguém a comprar flores para oferecer, irá simplesmente fazer perguntas aos utilizadores e apresentar como forma de resposta botões de escolha múltipla accionáveis através de um simples toque ou de um carrossel, como podemos ver no exemplo abaixo.

Enquanto o chatbot realiza esta tarefa está a executar apenas e não pode ser interpretado como um chatbot inteligente.

Continuar a LER ARTIGO

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply